Quinta-feira, 15 de Março de 2012

A IRMÃ GÉMEA DA WENDY

É o corpo, eléctrico e nimboso, que dispara fagulhas douradas por todos os poros. É luz, que brilha mais forte, no meio de outras luzes. É a boneca, alada e vaidosa, que foge para o voo, pensando na mana. O resto, além do paleio entre doutores, é tudo adereços fortuitos. Os brincos enormes que pendem pesados. O salto impiedoso que fere a alcatifa, sem esquecer a objectiva. Os anéis volumosos, e voluptuosos, que, em planos grandíssimos, desafiam as câmaras e a enorme plateia. O trapo, do último grito, que suscita a inveja mais a cobiça. Tudo à medida dos seus desejos e caprichos, escritos no guião contratual, previamente estudado. É a primeira entre iguais. Nas conversas, da parte dela, nem entrevistas nem dúvidas. São opiniões, informações, sentenças e respostas. E depois, é só sentir o efeito e a ressonância das suas próprias e sábias palavras. Puxa, repuxa e entorta os lábios, com destaque para o superior, que a cosmética cirúrgica inchou e o bâton da moda acentuou. Observa à direita e à esquerda. Ora para o residente, ora para o convidado. Os olhos, esses, não param. Pudera, também comem! Mesmo quando uns óculos soberbos, em momento de desenfado, e em leituras fugazes, provocam o espanto. Afinal precisa de próteses! Só lhe faltam as sarnas. É o espectáculo da noite, em hora de ponta. Por pouco seria uma stand up comedian, e talvez venha a sê-lo. A resposta milionária à concorrência feroz. Vem de outros tempos e de outros senhores. Ser estrela é o seu destino e a sua tragédia.  No fim, e para a surpresa de todos, tem poderes ocultos que confessa orgulhosa à imprensa sedenta. Derruba ministros, e faz cair gabinetes, em questão de minutos. Temos diva e magia. Temos Maquiavel e Mulher. Olhos nos olhos!     

publicado por flagrantedeleite às 14:45
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
30


.posts recentes

. CADERNOS DO SUBTERRÂNEO (...

. CADERNOS DO SUBTERRÂNEO (...

. CADERNOS DO SUBTERRÂNEO (...

. 19ª. EPÍSTOLA DE UM ALEMÃ...

. 18ª EPÍSTOLA DE UM ALEMÃO...

. 17ª. EPÍSTOLA DE UM ALEMÃ...

. 16ª. EPÍSTOLA DE UM ALEMÃ...

. ...

. 15ª. EPÍSTOLA DE UM ALEMÃ...

. 14ª. EPÍSTOLA DE UM ALEMÃ...

.arquivos

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Fevereiro 2017

. Outubro 2016

. Abril 2016

. Dezembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Fevereiro 2015

. Dezembro 2014

. Agosto 2014

. Junho 2014

. Abril 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

blogs SAPO

.subscrever feeds